Salazar Em França: Admiradores E Discípulos (1930-1974)

Sinopse

Com base nos arquivos de Salazar, bem como nos documentos do crítico e escritor António Ferro, esta obra visa dar testemunho da admiração que uma parte da elite francesa tinha em relação ao dirigente do Estado Novo português (1889-1970) entre 1930 e 1960. Do lado francês, foram mobilizados dezenas de livros e centenas de artigos publicados em jornais e revistas durante quatro decénios. A maior parte dos seus autores descreve favoravelmente o regime português e o seu dirigente, sendo que a opinião favorável da qual Salazar beneficiava, sobretudo nos meios da direita conservadora e radical francesa, exprime um apoio ao homem e aos princípios que ele encarna. Como tal, o filosalazarismo ocupa um lugar especial na história política e intelectual francesa contemporânea, pelo que o período entre as duas guerras reputa Salazar de Cincinato europeu, herdeiro de Henrique, o navegador. Na viragem da década de 1950, é um Salazar humanizado que a jornalista Christine Garnier apresenta em Vacances avec Salazar. Finalmente, os últimos 15 anos consagram o «Sábio do Ocidente», que os seus incensadores opõem aos modelos soviético, cubano ou chinês, e, evidentemente, a uma Quinta República gaulesa, cuja política argelina é contraposta aos esforços de Salazar para conservar o império português.