Herberto Helder - Texto, Metáfora, Metáfora Do Texto

Sinopse

ÍNDICE GERAL

Do aparente e do oculto

Uma delimitação ocasional da obra herbertiana

O modo do morto

Em Helder

Delimitação metafórica de um texto

A narrativa perversa

Erecção e morte do pai

Contemplação da Medusa

A familiarização da morte

Contaminação de morte e vida: a ressurreição

"Escotomização" e implante

A morta, o encurtamento da genealogia, a rege(ne)racão

Interiorização: a musa cega

O "hipograma"

O hipogramático e a 'narrativa perversa'

O hipogramático de Cobra

Poética

A metáfora da serpente

(Metáfora da) metáfora

Autor, leitor, texto: o protelado e o apotropaico

Exemplo

Vanguarda e contemporaneidade

Metáfora do Nome do Pai

Cobra: da ocultação do rosto

As versões de Cobra

Uma história Lisboeta de intimidação dos vizinhos

A versão ulterior

O verdadeiro exemplo, redução do estado de versão

Histórias de leitura

Metalinguagem

Descaracterização metatextual

Dois tempos, duas mortes

Um sistema intempestivo

O In-fans

O Humor impassível

Acesso ao sistema pela experiência

O outronímico

O épico da narrativa perversa

Genealogias

Uma história de castração

Apresentação regional do sistema intempestivo

Dos autores

Parafrasear Cobra

Memória e montagem

Exemplo

As metáforas de Cobra

As metáforas e o segredo

A Metáfora originária

Texto e serpente

Bibliografia